terça-feira, 16 de outubro de 2012

Todo dia 15

Todo dia 15 é aquele ritual. Lembranças, sonhos e realidade.
Acontece que o dia 15 de ontem foi surreal de tanto trabalho e reunião com fornecedores... então Todo dia 15 eu fico pensando que preciso fazer, mas fico sonhando com o grande dia!

 

Faltam 02 meses!

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Voilá!

E então que aquele contador alí ó, ai em cima, tem me assustado um monte. Não só pelo tempo que tem voado numa velocidade inacreditável para mim, mas, também, pela quantidade de trabalho que tenho tido nos últimos dias e semanas. Mal sinto a semana passar, mal vejo o tempo correr e quando me dou conta, já são mais de 22hs e eu preciso dormir, desesperadamente dormir.
 
Casamento? Tenho sonhado, no sentido real, com coisas absurdas. Tenho, também, coisas absurdas paradas, como as portas guardanapos que não saíram do sonho e foram, até a compra dos materiais. Tem também agendado escolha da decoração, check list com o cerimonial. Ah, compra do sapato do grande dia, da roupa da mãe da noiva, minha super mãe e da definição de muitos detalhes.
 
E quer saber? Tem ficado tão delicinha essa fase. Todo mundo ajudando. Todo mundo perguntando. Todo mundo querendo saber. Mas, vamos ao que interessa. O assunto do momento é o convite de casamento.
 
Diga-se que foi um dos primeiros presentes ganhos. Tia. Grande tia fez a oferta e o noiva, mais que depressa aceitou. Os detalhes foram feitos bem calmamente, pelo motivo citado acima, e sábado foi dia de fechar o último: Envelope.
 
A saga foi mais ou menos assim: escolhe imagem. Pensa no texto. Cor do texto e tipo de letra. Faz várias provas. Vê layout. Altera layout. Altera cor da letra. Altera novamente. Imprimi, escolhe o papel. Imprimi no papel escolhido. Escolhe o envelope e Voilá, convite pronto!
 
Quinta-feira é dia de pegar os envelopes e cartões individuais e depois é dar sequencia em todo o processo de entrega dos convites. Ai céus, eu amei o convite. In Love. In Love very much! (isso existe?) E assim, como mais que um sonho, o convite ficou melhor que eu imaginei.
 
 
A parte burocrática, digamos assim, não houve. Podemos imprimir quantos mais convites precisarmos e para começar fizemos a quantia, praticamente, certa, exatamente pela possibilidade de novas impressões sem maiores problemas e na quantidade que queremos, seja ela 1, 2 ou 30 convites a mais. Os envelopes não teve jeito, foi o cento mesmo, e nesse caso, nem me importo, pois vai que tem erro de escrita? Assim fica mais tranquilo de trabalhar com eles.

 

Ah, to Feliz!

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

O Pai da Noiva

O Pai da Noiva. Algo semelhante como os filmes que já assisti e que tratam exatamente disso. O meu pai.... meu herói desde que nasci. Onde eu tento aprender a ter paciência e afinidade com cálculos. Meu pai me salvou de monstros quando eu era criança e hoje me salva de leões empresariais. De fato meu pai é o braço esquerdo e direito, os meus braços. Braços? Não! Preciso mudar, meu pai é a área racional e boa de cálculo da minha vida!
 
 
Pois bem. Assim com muitas características que meu pai me ganha sempre.
 
 
Acontece que agora ele resolveu assumir o papel de PAI DE NOIVA. Mas não é qualquer pai. É pai de noiva. Filha única. Mulher no mundo dos avessos que vivemos e isso tem incluído de longas conversas sobre a necessidade dele resolver a parte de convidados da lista do casamento.
 
 
Sentiu o drama? Não! Então espera!
 
 
Os convites foram pra gráfica, meio as escuras, pois desde domingo tenho cobrado a parte do meu pai na lista de casamento. A parte dele inclui a empresa onde trabalha e algumas dúvidas com familiares dele que tenho. Fala sério, nada muito difícil de resolver.
 
 
Mas, não. Ele não quer falar sobre o assunto CASAMENTO. Ele não quer definir a lista dele. E a conversa de ontem foi mais ou menos assim:
 
 
- Pai, hoje termina o prazo que falei para você. Preciso saber quem você vai convidar da empresa, pois precisamos fechar a quantidade de convites (detalhe ao drama, pois já tinha enviado pra gráfica!)

 E ele responde:
 - Se tiver que fazer mais convites eu pago.

- Pai a questão não é essa. É resolver, pois semana que vem começamos a entregar os convites e é preciso enviar antes uma lista pra cerimonial com o nome de todo mundo para fazer a confirmação de presença.

 E ele:
- Ah, nem precisa, vai. Tá longe (???????). Não tem problema se você enviar mais pra frente essa lista.
 
 
- Claro que tem, Pai. Essa é a forma de trabalhar do cerimonial e nós aceitamos quando fechamos com ela. E outra, a partir do momento que entregamos os convites o pessoal começa a confirmar.
 

Silêncio no ar.

Assim terminou nossa conversa. Assim a parte dele da lista ficou sem definir. Assim tudo estamos na mesma e assim hoje eu enchi o ouvido da minha mãe para que ela me ajude nisso!
 
Eu entendo. Eu imagino. Deve ser complicado ser Pai de Noiva. Alguém já pensou nisso? Eu me pego chorando na formatura dos meus primos menores. Choro lembrando das nossas histórias de vida. Quem dirá um pai. Quem dirá meu pai.

 Eu o entendo!
MAS EU PRECISO FECHAR MINHA LISTA DE CASAMENTO! POXA!