quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Eu quero!

Das certezas que tenho com detalhes do casório, umas delas é que não quero Chá de Panela.
Primeiro porque o que conheço da cozinha são os locais de onde estão guardados meus alimentos preferidos. Também sei onde está o fogão e o chá para fazer, apenas.
Segundo porque quero uma cozinha coordenada nas cores, isso inclui móveis  e utensílios. E ninguém tem que saber a cor que eu gosto e eu, também, não curto estipular cor.
Terceiro porque eu não gosto daquelas brincadeiras de descobrir o que é, ficar zuada e pagando mico. Não sou a pessoa mais tímida do mundo nem a mais extrovertida.

Foi aí que fiquei totalmente “in Love” com o Chá de Lingerie. Entretanto, algumas questões ainda me deixavam preocupada.
Primeiro que as convidadas para o chá serão, também, para o casório, ou seja, vão gastar duas vezes.
Segundo porque eu não quero ganhar modelos que eu não use e depois ficar quebrando a cabeça para fazer trocas e, muito provavelmente, integrar o valor para pegar outra peça.

Enfim, dúvidas.
Mas, ontem, foi dia de fazer curso de maquiagem com duas primas. O local é muito bacana, de bom gosto. Lá são vendidas lingeries e itens correlatos. E o que isso tem a ver com toda a história do chá de lingerie?

Porque lá eles fazem o Chá de Lingerie. Com direito a palestra sobre sexualidade, alguns mini cursos para as mulheres, alguns brincadeiras, além de um mini coquetel, com direito a vinho frizante, canapés, bolo e brigadeiro. Do total pago por pessoa, é tirada uma quantia para a noiva pegar em lingeries. A duração do chá é de 04 horas.

AMEI! Era isso que eu queria. Era assim que eu pensei. O único problema?
Um precinho bem salgado por pessoa, mais do que o valor do Buffet que vai fazer a festa do casório. Tudo bem que seriam apenas 20 mulheres, mas o valor fica bem altinho.

A saída? Não sei. Mas sei que passei a bola para uma amiga/madrinha resolver a pendência, com os seguintes dizeres: “quem organiza o chá são amigas e madrinhas da noivas, então se vira, porque quero um local assim para o meu chá!”.

Eu quero, eu quero, eu queeeeeeeeeero!

Um comentário:

A madrinha! disse...

Ou seja, quem se ferrou nessa história foi eu!!!!! kkkk